sábado, 20 de março de 2010

O Ensaio de um Crime III - Conversando com Deus

"Deus faz o bem sem pedir nada em troca. Sem que você precise serví-lo. Ele quer individuos felizes e bons consigo, não escravos de uma idéia. Os Homens jamais fazem o mal tão completamente e com tanta alegria como quando o fazem a partir de uma convicção religiosa" - Pascal

3 de Janeiro de 2010
O Pai do menino que matei já estava no quinto copo de Whisky, o que incomodava muito a esposa e era assunto de todas as brigas do casal. Aos poucos entrava no alcoolismo sem perceber. Eu, do outro lado da do bar, olhava-o. Meus olhos o chupavam e ele correspondia. Nos encontramos no banheiro. Transamos. Ao voltar para o bar ele beijou a boca da esposa. A boca que me chupou. Alguns minutos depois dirigi-me ao casal.
- Olá, professora. Que bom encontrá-la! - Ela me deu um sorriso. O marido, também.

***

1 de Fevereiro de 2010 - 19h56
Conheci o menino que matei na recepção do prédio o qual seus pais estavam hospedados. Seu semblante estava de uma raiva triste. Discutiu com os pais e decidiu, naquele momento, odiá-los para sempre. Ele estava indo embora e eu estava chegando. Nos encontramos na porta do elevador. Nossos olhos estatizaram-se um ao outro. Um arrepio quente nasceu de minha garganta terminando na virilha. Ele sorriu para mim. Eu atrasaria meu encontro com seus pais por uma hora...

***

1 de Fevereiro de 2010 - 19h45
Um tapa atingiu o rosto do menino que matei.
- Viado? Puta merda, não acredito que o meu filho 'dá a bunda' agora. - O Pai rugia de ódio. Via no filho a possibilidade e a juventude que não tinha mais. - O que faremos com ele? - perguntou, olhando para a mãe.
O que mais doeu no menino que eu matei foi a falta de reação da mãe. Ela não olhava em seus olhos. Ele decidiu ir embora.

***

6 de Março de 2010
Lá estava eu, entre a mãe, com uma arma na mão que pegou em minha mochila, e o pai, nu. Ela descobriu. Um disparo e acertou em cheio o fígado do marido. Em seguida, saiu apressada e com lágrima nos olhos. Estava completamente sozinha.

***

12 de Março de 2010
Eu e a mãe do menino que eu matei decidimos nos entregar a polícia. Encontrava-me em seu carro vermelho luxuoso no banco do co-piloto. Não conversávamos, apenas escutávamos a rádio 'Antena 1'. Eu estava decidido e sabia que esta decisão ia mudar minha vida e até a minha morte. Não conseguiríamos conviver com a culpa da morte do pai e do filho. Precisávamos fazer isso. Visualizamos o nosso destino. Duas motos aproximavam-se do carro. As pernas tremiam e a reação foi de choque. Entreguei minha mochila. A Mãe, ao tentar pegar a bolsa que estava atrás do freio de mão, levou um tiro. Os bandidos acharam que ela fosse arrancar com o carro. Sua vida passou diante dos olhos, mas, a última cena, foi o tapa que recebeu do filho.

***

O CÉU - 13 de Março de 2010

- Achei que nosso encontro demoraria a acontecer ainda. - Beijou-me a face e sorriu - Mas estou muito feliz por você estar aqui.
- Você não sabe de tudo? Não deveria estar surpreso. - Perguntei, sem conter o tom de desafio. Em minha frente encontrava-se uma menino jovem, por volta dos 25 anos, branquinho e de cabelos enroladinhos e cheios. Óculos com armação média e um enorme sorriso. Vestia uma bata branca, calça jeans e sandálias. Se não fosse pela voz e postura, seu rosto fino poderia ser confundido com o de uma mulher. Eu sabia que era Deus.
- Sei, mas se houve uma única coisa que as religiões ensinaram e os humanos acatam verdadeiramente é o Livre-Arbítrio. - sorriu - Fazemos escolhas a todo minuto. Sou onipotente, onipresente e onisciênte? Sim, mas assim como o Diabo, não sei do futuro. Não existe esse negócio de "Se Deus Quiser". É se VOCÊ quiser. Se eu soubesse de tudo, para que haveria o Juízo Final? Julgar algo que eu sabia o que ia acontecer? São quase 6500 bilhões de habitantes na Terra em um jogo de xadrez entre eu e o Diabo. Criei tudo isso de pessoas para todas pensarem da mesma forma como dita a bíblia? Seria mais fácil criar só 10 e pronto. Seria mais fácil para eu cuidar.
- Ei, espere. Quantas perguntas! Você é Deus, normalmente deveria saber as respostas.
- Pode me chamar de Cláudio, é o meu nome - Sorriu ao ver minha total confusão. - Cláudio, responda-me: no Kardecismo suicidar-se é errado, o resultado seria você ir para o Umbral no "Vale dos Suicídas", uma espécie de 'inferno' católico. Já no Islamismo, o suicídio e martírio leva o indivíduo ao Paraíso com 72 virgens a sua espera. Psiquiatricamente, o depressivo-suicída tem dificuldade na comunicação das sinapses cerebrais, ou seja, uma deficiência físico-mental. Não é só tristeza, é um problema do corpo. Pergunto, como eu devo julgar essas três pessoas que se suicidaram, se são de culturas diferentes? Como eu devo julgar uma criança que morreu aos 10 anos de idade, levando em consideração que ela não passou por todas as 'provações e pecados' que um homem de 70 anos? E se ela vivesse mais 8 anos e se prostituísse. Prostituição é errado? Devo julgá-la? Há séculos atrás, ser uma Dama de Companhia era sagrado e ainda o é em algumas civilizações. - Ele falava em um tom sério, mas andava de um lado para o outro, distraído e olhando-me as vezes - E as pessoas que não tiveram a chance de lerem a bíblia ou de conhecê-la? Vou julgá-las da mesma forma?
- Desculpe, eu não concordo com o seu livro. - a raiva me consumiu - Você não imaginou que este livro escrito pelo "Espirito Santo" poderia matar 20 milhões de pessoas em 1000 anos de Santa Inquisição? Assassinar mulheres 'bruxas' que nem eram bruxas? Aniquilar milhões de Judeus considerados culpados pela Peste Negra que dizimou 1/3 da população européia só por que eles tomavam banho e os cristãos, ignorantes demais para ver isso, matava-os? - o desespero e raiva tomou conta de meu corpo - Que discriminaria as mulheres colocando-as em um grau inferior ao masculino? Que faria homossexuais sofrerem? Por que você fez isso? Sabendo da ignorância do ser humano que poderia não interpretar corretamente as suas frases, por que diabos você escreveu Êxodos, que permite vender a própria filha como escrava (21:7) e permite matar quem trabalhar de sábado (35:2)?
- Cláudio, sim, fui eu quem escrevi a Bíblia. O Novo testamento veio para quebrar algumas concepções do Velho Testamento...
- Mas a palavra de Deus não é imutável?
- Os valores da sociedade são formados pela transição cultural de determinado povo. Para obter melhor controle de um grupo de pessoas, devemos fazê-los seguir regras deixando-os 'iguais'. O diferente então passa a ser 'errado'. As pessoas que seguem estas regras ficam indignadas com os que não a seguem simplesmente por também não querer seguí-las. O psicanalista Jung já afirmou que "O que Pedro diz sobre Paulo, nos conta muito mais sobre Pedro do que sobre Paulo". A Ira se dá por não poderem ser como você, não por que você não segue as regras. Confesso que os textos sagrados só são seguidos com o que lhe é conveniente. Esses são os Pecadores. Por Favor, não associe-me com a bíblia.


- Mas não foi o seu Espirito Santo que a escreveu? Estou confuso.
- Como eu disse, sim foi eu quem a escrevi, fui eu, o Cláudio. - sorriu - e não há Espírito Santo.
- E a trindade? Pai, Filho e Espirito Santo?
- Sim e Não. A “Trindade Cristã” é uma reciclagem de tradições mais antigas. O “Pai”, o “Filho” e o “Espírito Santo” já foram inventados pelos egípcios, babilônicos e indianos. Foi na intenção de 'agariar' novos fieis que o Cristianismo pegou um pouquinho de cada religão. Na Trindade Babilonica Ishtar, era a Deusa do amor, da guerra e da fertilidade. Xamaxe era o Deus Sol e Sin era o Deus Lua... Já na Trindade egípcia Atom era o “Pai”, o “Espírito” e Hórus o “Filho”...
- Existe ou não existe?
- Na terra, a trindade é formada por Religião, Economia e Política. A Bíblia possui vários equívocos de interpretação, devido a enorme limitação do homem. Para você ter idéia, a mais versículos ensinando a escravização do que contra a homossexualidade. Eu aceito os homossexuais e os amo muito. Escrevi o seguinte versículo "Não cortarás o cabelo nas têmporas, nem apararás as beiradas da barba". Ser Homossexual é natural, mas a bíblia condena. Crescer o cabelo é natural e a bíblia condena quem o faz. Então por que o fazem? - ele afaga meu rosto - Eu não crio instituições. As religiões são os homens que criam a fim de se sentir Deus.
- Você está se contradizendo.
- Não Cláudio, quem se contradiz são os homens. Revelarei o maior Segredo o qual tirará todas as suas dúvidas. Em seguida, você dormirá. Amanhã será um longo dia para você. - Olhei-o com toda a concentração - Eu sou uma Trindade. Sou Formado por Deus, o Diabo e Você. Eu sou o Diabo, o Diabo é você e Você sou eu, Deus.

***

21 de Março de 2010
O Menino que eu matei estava tentando descobrir como programar a maquina digital a disparar automaticamente. Escolheu a função 10 Segundos e correu para o sofá. Sentou-se ao lado do pai colocando a mão sobre seu joelho. A Mãe, sentada no braço do sofá, abraçou os dois homens de sua vida. Nunca estiveram tão felizes. Eu não estava lá naquela hora.

Para quem não entendeu, eu, querido leitor, sou a Morte.

FIM

Parte II: http://osalnomeusorriso.blogspot.com/2010/03/o-ensaio-de-um-crime-ii-conversando-com.html

Por Cláudio_DeLarge

3 comentários:

Anônimo disse...

Aaaaaah que complexo. Eu num entendi.

Natália disse...

Quanto tema polêmico em um só post hahaha!

O Cláudio experimentou o sexo (que se transformou no maior tabu criado pela criado pela humanidade para impor formas de poder).De uma forma tão violenta que foi fatal.

Descobriu que podia matar, descobriu mais que isso, que a morte estava em si. Que morria biologicamente todos os dias. E morria idelogicamente também. Já que suas concepções mudavam a todo momento.

Ao constatar que era a morte, compreendeu que era também o dualismo mais pregado pelo Cristianismo. O bem e o mal. O Diabo e Deus.

Questinou portanto não o Diabo e nem Deus, mas a si. Utilizou todos os argumentos para que justificar as duas formas opostas de pensamento.

Ensaiou um crime, um bem, um mal e uma conclusão, a de que somos compostos por ambos.

OBS: Como eu interpreto seu conto. Resta saber, se compartilhamos da mesma interpretação.

Papo balbucio disse...

INCRÍVELMENTE F A N T Á S T I C O!

O mais bacana foi o modo escolhido para escrever, nada muito complexo, com leves toques de parábola.
AHH e antes de mais nada tomei a liberdade de publicar para alguns amigos do meu curso!

Congrats hun your txt's are amazing!

;)