sábado, 23 de abril de 2011

Weeds

"Não sou consumidor de maconha porque sofro de depressão, mas pior do que ela é o cigarro, que me causou um infarto". - Chico Anísio

WEEDS é uma série americana protagonizada pela incrivel Mary-Louise Parker (Angels in America e West Wing) que tem como tema principal, a MACONHA. Criada por Jenji Kohan, o mesmo criador de Gilmore Girls, WEEDS tem altas doses de ousadia, um humor negro brutalmente direto e incisivo e com um olhar revelador sobre as drogas e a vida familiar.

Nancy Botwin (Parker) fica viuva e enfrenta dificuldades financeiras para sustentar os dois filhos. Como solução, começa a vender maconha para equilibrar o orçamento familiar. A inspiração da série veio dos últimos acontecimentos e debates envolvendo o uso médico da maconha na Califórnia e o crescente aumento de cultivadores da planta. O título é uma brincadeira com a palavra coloquial da maconha (em português, Ervas).

Não obstante a este tema central subversivo e inovador, a série aborda com sutilezas e simbologias a dificuldade na vida familiar, a busca pela magreza, o desalinho e infantilidade de pais despreparados e perdidos e a hipocrisia da sociedade em sua moral. Em vários aspectos. Conforme já discutimos no POST "A Maconha", sua proibição resume-se a eventos interesseiros no âmbito político e social norte-americano - Se tiver um tempinho, leia o post sobre A Maconha. Além de ser uma explicação, é uma aula de história - e cada episódio nos faz pensar: Ora pois, o alcoolismo é um problema muito grave, mas o Ronaldinho e a Ivete Sangalo continuam fazendo publicidade para a venda de cerveja. Por que?

WEEDS, em seu primeiro ano obteve a maior audiência já alcançada pelo canal SHOWTIME. Além disso, Mary-Louise Parker ganhou um Globo de Ouro e foi indicada 3 vezes ao Emmy pela sua performance na série, assim como outros atores e atrizes coadjuvantes de grande destaque em prêmios.

Se a série mudou minha opinião sobre o assunto? Não, continuo indiferente a tal produto. Minha indiferença transforma-se no momento em que sua utilização é criticada em sobreposição a outras drogas que fazem tão mal quanto. Estas drogas a que me refiro chamam-se cigarro (tabaco) e alcool. Se sou a favor da legalização da maconha? Sim. Se sou a favor da criminalização ou proibição do comercio do alcool ou tabaco? Um sim maior ainda. Porém, estamos longe das duas possibilidades. Tudo devido a uma questão cultural. O que nos resta, por ora, além de dançar pelos destroços, baby, é respeitar a opinião do próximo. Sempre, lógico, munido de argumentos.

2 comentários:

Anônimo disse...

Esta série de TV e uma das melhores que já vi. Assisto no GNT sempre e não pero um episódio. Ao contrario de vc, eu mudei minha opinião sobre a maconha. Ela vai muito além do que dizem

Cláudio DeLarge disse...

Phoda mesmo!