sábado, 31 de outubro de 2009

DogVille II - A Puta Hipocrisia da UNIBAN ABC

"Quem julga as pessoas não tem tempo para amá-las." (Madre Teresa de Calcutá)

O incidente ocorrido na UNIBAN de São Bernardo do Campo levantou inúmeros debates entre meus amigos. No ultimo dia 22, uma aluna da UNIBAN do ABC foi humilhada e quase estuprada pelos colegas universi-otários devido a um vestido muito curto. A mesma teve de ser escoltada por doze PM's vestindo um jaleco , ao meio de insultos e um coral de "Puta! Puta! Puta!".

O ocorrido remete a três idéias fundamentais: Hipocrisia, Liberdade de Expressão e um Ambiente acadêmico lotado de indivíduos com mentalidade de ensino fundamental. Darei a minha cara para bater, mas TODOS os alunos da UNIBAN ABC são ignorantes, tantos os envolvidos como os que tanto 'criticam' o ocorrido. Os envolvidos são ignorantes, pois comprovaram que a universidade não é mais freqüentada por cabeças-abertas interessados no conhecimento e sabedoria.Isto tampem é culpa da própria universidade, que no intuito que conquistar alunos (Lê-se Clientes) transformam-se em meros cursos técnicos, onde o diploma universitário está desvalorizando-se cada vez mais. Porém, na linha de frente da auto-desmoralização e burrice encontram-se ainda os moleques que decidiram reviver sua época de crescimento dos pentelhos. Ameaças de estupro coletivo eram gritadas. Ameaça esta, imperdoável entre os próprios detentos, co
nsiderada uma das maiores violações dos direitos humanos. Para os que não estavam envolvidos, o preconceito e falso moralismo e duplo. Na comunidade do Orkut, os membros diziam "Bando de putas e viadinhos", "Faculdade lotada de Gays", "Se fosse um homem, os bibas unibambis estariam todos gritando". Os "Críticos" apontam que um dos motivos pelo quase linchamento, foi devido aos envolvidos serem 'gays enrustidos'. Ignorância por todos os lados.

"Sexo", o grande tabu e o atrativo da sociedade. Mesmo sendo um terreno propício para a sexualidade onde muitos transam, querem transar ou dizem que transam, no dia 22 de outubro só havia uma "Puta" na UNIBAN, rodeada de estudantes virgens, puritanos e comportados. É até perdoável, já que o costume de utilizar uniformes no ensino fundamental contrapôs-se ao vertido rosa curto. O costume e a mentalidade acompanharam e, segundo o próprio secretário-geral da Unidade, afirmou que "Ela Merecia, Ela provocou", já que vestia trajes inadequados. Uma amiga minha, a Natália, afirmou que a menina provocou, pois a universidade não era um ambiente a se utilizar uma roupa daquelas e a mesma estava propícia a sofrer retaliações de um público "discordante".

Amigos, há uma idéia chamada "Liberdade de Expressão". Independente do local onde você esteja, o direito de expressar-se da maneira como achar mais conveniente é único. Na minha adolescência, freqüentava a Rua Augusta com alguns amigos. Certa vez, presenciamos dois Skin Heads descerem da moto e espancarem duas travestis para, logo em seguida, irem embora sem maiores explicações. As travestis "procuraram" ser espancadas apenas por freqüentarem um ambiente de extrema diversidade? É mais correto nos policiarmos a fim de amenizar o que os outros vão pensar? É correto ou justificavel violarmos o direito dos outros pelo que fazem das próprias vidas?

O fundamento da liberdade de expressão é o respeito. E é esta falta de, que faz com que o Brasil seja a décima economia com o 75° desenvolvimento humano. É a liberdade de se expressar, pensar e vestir que fundamenta a democracia e o respeito. Torceremos para que nenhuma menina mais use decore, pois a UNIBAN ABC instaurou a moral, bons costumes e conservadorismo no Brasil. Puta! Puta Hipocrisia. E não adianta apontar-me o dedo, porque você será apontado tambem.

Os hipócritas são como as tâmaras: o doce está fora, o mel nas palavras e o duro lá dentro, na alma." (Mateo Alemán)
Por Cláudio_DeLarge

9 comentários:

Josias Rickli Neto disse...

Quando eu vi a reportagem da folha eu tive vontade de chorar por viver em um mundo assim ainda... que faz e acontece, que cria tecnologias e novas vidas, que julga-se moderno, mas não aprendeu o simples respeito pelo que o outro quer fazer da propria vida... enfim muita dor porque entendo que esse não é um caso isolado... mas vivemos com a liberdade vigiada...

Wi disse...

O que eu acho engraçado é que mulheres-frutas são transformadas em celebridades, crianças aprendem coreografias obcenas com os tantos funks que por aí tocam. Mas nada disso é imoral, só o vestido de uma mulher, que tem idade suficiente pra escolher a roupa que quiser. Era curto, não era condizente com o ambiente? O problema era dela. Cada um se porta como melhor lhe convier, cada um escolhe a imagem que quer passar para os outros. Pelo que me lembro isso é um direito constitucional...
Mas sabe o que eu acho que realmente aconteceu lá? Uma reunião de mulheres com inveja, que gostariam de sair vestidas como ela, mas ficam mais preocupadas com a opinião alheia do que com o próprio bem-estar.
Soma-se a isso um bando de boçais, que acabaram de sair do ensino médio e acham que a faculdade é uma continuação dele - inclusive de sua peculiar infantilidade e escrotice.
Posso parecer preconceituosa, mas esse acontecimento só me fez acreditar mais na ideia de que essas faculdades são o reduto de gente sem cérebro, pagando um ensino medíocre a preço de banana.
Mas como provou Darwin, existe seleção natural. Tomara que ela faça sumir esse tipo de gente de mente atrasada e cheia de preconceitos.

(Mais uma vez escrevendo um texto nos comentários. haha)
Beijo!

Anônimo disse...

Arrasou!

Leonardo Marcondes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leonardo Marcondes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leonardo Marcondes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leonardo Marcondes disse...

Concordo em partes (e graças à Deus por isso, assim conservo a minha individualidade). Protestar contra um ato de hipocrisia utilizando argumentos generalistas e sem fundamento racional aceitável é um problema, Cláudio. Não que o seu texto esteja só baseado em preconceitos, mas eu senti um bocado em algumas partes tão evidentes que acho que nem preciso citar ("[...]TODOS os alunos da UNIBAN ABC são ignorantes[...]" ou "Os envolvidos são ignorantes, pois comprovaram que a universidade não é mais freqüentada por cabeças-abertas interessados no conhecimento e sabedoria.", por exemplo). Acontece que existem muitos outros argumentos para justificar a existência das universidades particulares com alguma carência na qualidade do ensino, bem como você deve saber, já que é brasileiro. E eu nem gostaria de imaginar se só existissem as bem conceituadas particulares e públicas - porque todas se destinam, em geral, e falo pautado em estatísticas, à estudantes que não são pobres.
Espero, sinceramente, que não se ofenda com as minhas observações, não foi o meu objetivo! E aproveito para reiterar, ainda, que concordo com a maioria da argumentação utilizada no desenvolvimento do seu texto (exceto à já citada, obviamente).
Gostei da coragem demonstrada nas postagens verdadeiras do blog. Parabéns! Abraços!
Léo!

Natália disse...

Também acho uma tremenda hipocrisia desses alunos, aliás acho que é mais bagunça do que ideologia. Não queriam ter aula, e fizeram o que fizeram. Não acredito que são tão puritanos e conservadores.

Mas também não acho que usar micro-vestido, seja uma espécie de revolução. Pelo contrário, como já te disse... é um falso argumento pensar dessa forma, pq é justamente o que a sociedade contemporânea prega. Estética! Então pq essa ' revolta ' toda com a moça? Justamente pq esse culto a certos padrões precisa ser minimamente velado.

Fátima Jaguanharo disse...

Preconceitos? Valores? Respeito?.
Cada traje a seu ambinte...depende dos interesses(assedios) em questão.
A Uniban estrapolou, pois "pulou" etapas antes de se chegar a uma expulsão.
Em alguns alunos despertou-se a indignação? a tara? a inveja?
Os meninos...tiram a camisa ou camiseta em sala de aula ou no ambiente escolar? ( isso chama-se a postura de respeito ao ambiente).
A saia dela era mini ou micro?rsr
Existem roupas curtas e sensuais...sem se tornar vulgar.
Cada um ataca ou defende o ponto de vista que mais lhe convem...mas acho que ainda, a Mulher pode ser sutil e sensual...sem ser vulgar.